tem uma leve diferença em ser safada com 1 e ser safada com 10, aprende gata


“E você depois perguntou:
— Não tem nada meu aí? E eu quis gritar:
— Tem, tem eu.”
Tati Bernardi.   (via repouse)

“O melhor do namoro, claro, é ridículo. Vocês dois no telefone: “Desliga você.” “Não, desligue você.” “Você.” “Você.” “Então vamos desligar juntos.” “Tá, conta até três.” “Um…Dois…Dois e meio….”. Ridículo agora, porque na hora não era não. Na hora nem os apelidos secretos que vocês tinham um para o outro, lembra?, eram ridículos. Ronron. Suzuca. Alcizanzão. Surusuzuca. (Gongonha!) Mamosa. Purupupuca. Não havia coisa melhor do que passar tardes inteiras num sofá, olho no olho, dizendo: “as dondozeiras amam os dondozeiro.” “Ama.” “Mas os dondozeiros amam mais as dondozeiras do que as dondozeiras amam os dondozeiros.” “Na-na-não. As dondozeiras amam mais do que etc.”. E,entremeando o diálogo, longos beijos, profundos beijos, beijos mais do que de língua, beijos de amígdalas, beijos catetéricos. Tardes inteiras. Confesse: ridículo só porque nunca mais. Depois do ridículo, o melhor do namoro são as brigas. Quem diz que nunca, como quem não quer nada, arquitetou um encontro casual com a ex ou o ex só pra ver se ela ou ele está com alguém, ou para fingir que não vê, ou para dar um abano amistoso querendo dizer que ela ou ele significa tão pouco que podem até ser amigos, está mentindo. Ah, está mentindo. E melhor do que as brigas são as reconciliações. Beijos ainda mais profundos, apelidos ainda mais lamentáveis, vistos de longe. A gente brigava mesmo era para se reconciliar depois, lembra? Oito entre dez namorados transam pela primeira vez fazendo as pazes. Não estou inventando. O IBGE tem as estatísticas.”
Luis Fernando Verissimo. (via romantizar)

5 months ago · 7,959 notes · reblog
originally incolumo · via auroriar
“Você tinha o mundo num sorriso. E foi tão fácil gostar de você que eu não entendo até agora como eu demorei tanto pra me deixar ceder. Você era sóbria demais pros meus modos. Conduzia cada palavra pra algum lugar certo e eu ali, perdido, no meio de um bando de gente que não era você. A vida é maravilhosa, querida e eu só consegui acreditar nisso minutos depois de você.”
Entre todas as coisas (via repouse)

“E eu assumi meu peso, eu assumi meu medos, eu assumi toda a merda. E assim, voei ainda mais alto, como se flutuasse. Eu peguei pra mim tudo o que soltava por aí e, surpreendentemente, fiquei mais leve. Se dava pra ir de pesadelo pra sonho deitada, imagina o que eu não poderia fazer da minha vida a hora que ficasse em pé.”
Tati Bernardi.    (via epdemic)

“Sentia vontade de chorar, mas não saía lágrima alguma. Era só uma espécie de tristeza, de náusea, uma mistura de uma com a outra, não existe nada pior. Acho que você sabe o que quero dizer, todo mundo, volta e meia, passa por isso, só que comigo é muito frequente, acontece demais.”
Charles Bukowski   (via repouse)

8 months ago · 712 notes · reblog
originally vilanias · via repouse
“Ela era o tipo de garota
que gritava pro nada
as incógnitas da sua vida
e brigava com a lua
como se ela tivesse armado
todo aquele espetáculo de horrores.”
— Penejar   (via nevou)

8 months ago · 435 notes · reblog
originally penejar · via nevou